Prova de Redação do Enem 2016 pode ser anulada

Atualizado em: novembro 8, 2016

by Enem 2016 on 08/11/2016

Redação Enem 2016 pode ser anulada! Esta notícia surgiu como uma bomba, na noite de hoje, para os estudantes que fizeram as provas do Enem 2016 – Exame Nacional do Ensino Médio. O Ministério Público Federal (MPF) do Ceará pediu nas últimas horas, junto à Justiça Federal, anulação da prova de redação aplicada na tarde de ontem, domingo (06), a mais de 5,8 milhões de estudantes em milhares de municípios de todos os Estados do país.

Na noite de ontem, no programa Fantástico da Rede Globo, o Brasil inteiro foi informado sobre uma operação da Polícia Federal, denominada Embuste, onde uma quadrilha foi desmontada transmitindo respostas das provas, por meio de micropontos eletrônicos, para candidatos que pagaram até R$ 180 mil pelo gabarito do Enem 2016. A transmissão das respostas era feita de um hotel, na cidade de Montes Claros (MG). Até então, 10 prisões foram confirmadas, nos Estados de Minas Gerais, Bahia e Ceará.

Vazamento das provas do Enem 2016 é dado como certo pela Polícia Federal

De acordo com a delegada da Polícia Federal (PF) e coordenadora do Exame no Ceará, já é tido como certo o vazamento das provas do Enem 2016, mas ainda não se sabe como ocorreu. O primeiro fato que comprova o vazamento é que um candidato foi preso em Fortaleza (CE), pela operação Embuste, com uma redação já feita em dos bolsos de sua calça, com o tema idêntico ao proposto nesta edição. Ainda, segundo a delegada, o mesmo candidato teve acesso ao gabarito e ao tema da redação antes mesmo da prova ser aplicada, por volta das 11h, quando recebeu tudo via WhatsApp.

Mais de uma pessoa foi presa com redações prontas sobre o tema deste ano. Outro fato muito semelhante ao anterior ocorreu em Macapá (AP), onde um homem de 31 anos foi preso em outra operação da Polícia Federal, denominada Jogo Limpo, desenvolvida para reprimir fraudes no Enem 2016, visto que 22 pessoas teriam apresentado respostas suspeitas em edições passadas e que fariam novamente as provas deste ano.

Entre as 22 pessoas, o homem foi preso logo após sair do seu local de prova, ao confessar que já sabia qual era o tema da redação antes mesmo de fazer as provas do segundo dia. Com este homem, também foi encontrado um texto com o tema “intolerância religiosa”. Para efetuar a prisão, policiais se disfarçaram de aplicadores do Exame e esperaram o criminoso deixar a faculdade onde fazia a prova.

Enem 2016 privados de liberdade

Pedido de anulação da redação do Enem 2016 já foi protocolado

O pedido de anulação da redação do Enem 2016 foi protocolado no início da noite de hoje (07), pelo procurador do MPF do Ceará, Oscar Costa Filho. A principal alegação no pedido de nulidade, é de que o vazamento do tema da prova de redação violou o tratamento isonômico que deve ser garantido a todos os participantes. O pedido será analisado pela Justiça Federal nos próximos dias.

De acordo com o procurador, a sua ação baseia-se nas operações da Polícia Federal, realizadas no último fim de semana. Ele requer, em caráter liminar, que a validade da prova de redação seja suspensa juridicamente e, no mérito, que ela seja anulada.

Oscar Costa Filho ainda destacou que “A violação do sigilo das informações da prova do Enem 2016 está a comprometer tanto a lisura do exame, quanto o direito fundamental de milhões de estudantes de verem respeitado o seu direito à educação e ao acesso ao nível superior de ensino”. O julgamento final será realizado pelo juiz titular Ricardo Cunha Porto.

Tema da redação do Enem 2016 é muito semelhante a suposto vazamento ocorrido em 2015

Na edição do ano passado, circularam na internet duas provas, julgadas em seguida como falsas, com supostas propostas de redação para a ocasião. Uma delas, inclusive, era sobre a “Intolerância Religiosa no Século XXI”, muito semelhante ao tema escolhido pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) neste ano: “Caminhos para Combater a Intolerância Religiosa no Brasil”.

O Instituto divulgou um comunicado alegando que os temas não são os mesmos, e que abordar simplesmente o tema supostamente vazado em 2015 “não permite que o participante desenvolva uma proposta de intervenção na realidade respeitando os direitos humanos, o que contraria os pressupostos metodológicos previstos no Edital do Enem”. Assim, julgou apenas como uma coincidência de assuntos, que não afeta a edição deste ano, por não se tratar de um vazamento. Este fato, no entanto, não está relacionado às apreensões realizadas pela PF, que evidenciam o vazamento das provas de 2016.

Inep garante que participantes do Enem 2016 não serão prejudicados

FIM DO ENEM

Em nota, o Inep garantiu que, junto da PF, continuará empenhado em apurar os fatos, “garantindo que não haja prejuízo aos participantes do Enem 2016”. O Ministério da Educação (MEC) também divulgou nota afirmando que está empenhado em apurar os fatos para evitar prejuízos aos participantes, alegando ainda que “os casos identificados, que estão sob investigação, delimitarão a responsabilidade dos envolvidos”.

Para mais informações sobre a polêmica edição deste ano, fique ligado em nossas atualizações na página do Enem 2016 no facebook.

Avalie este artigo.

Leave a Comment

Texto anterior:

Próximo texto: